Terra Madre Brasil - Rede Nacional de Comunidades do Alimento

11/12/2008

Mais uma variedade de milho transgênico liberada

Fonte: Greenpeace Brasil

Liberação ocorreu mesmo sem a comprovação de que não haverá impactos para o meio ambiente e para a saúde 

A Comissão Técnica Nacional de Biossegurança liberou, nesta quinta-feira (11/12), por 16 votos a 5, mais uma variedade de milho transgênico para cultivo comercial. A aprovação ocorreu mesmo sem os testes sobre os efeitos da toxina dessa variedade à saúde humana.O milho Herculex, da Du Pont e da Dow AgroSciences, tem propriedade inseticida e é resistente ao agrotóxico glufosinato de amônio.

Para conseguir a aprovação na CTNBio, as empresas apresentaram testes baseados em uma toxina diferente da contida na variedade. Ou seja, a toxina utilizada como garantia de que o milho transgênico não causará impactos para o meio ambiente e para a saúde humana e animal é diferente daquela que a planta vai produzir para matar insetos.

Também não foram realizados testes de resistência a outros agrotóxicos, o que comprovadamente pode ocasionar o aparecimento de superpragas. Além disso, o fragmento de DNA testado pelos estudos foi apenas o que proporciona a resistência ao glufosinato de amônio. Outros 14 fragmentos de DNA inseridos no milho Herculex – cujos efeitos são desconhecidos – não foram avaliados. “Votar a favor de um organismo que não foi devidamente testado é irresponsável. Estamos fazendo papel de cobaias”, denunciou Rafael Cruz, coordenador da campanha de transgênicos do Greenpeace.

Ações como essas contrariam as determinações constantes na Resolução Normativa nº5 – conjunto de diretrizes científicas para liberação comercial de variedades transgênicas. Dentre as instruções desta resolução, está a avaliação do risco dos potenciais efeitos adversos – tanto para o meio ambiente quanto para a vida humana e animal – de organismos geneticamente modificados. “É alarmante o fato de que a resolução normativa número 5 da CTNBio não tenha sido plenamente cumprida: boa parte dos estudos não foram apresentados e algumas pesquisas apresentadas não atendem ao objetivo pretendido. Ainda assim, o milho foi liberado”, lamentou Leonardo Melgarejo, membro da Comissão e autor de parecer contrário à liberação comercial do milho.
___
Nota do editor: Leonardo Melgarejo é o representante do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) na CTNBio.

1 Comentário

  • 1. Eva Célia de Oliveira  |  12.12.08 às 8:05

    È lamentavel o desrespeito com a vida humana.Para quê gastar tanto dinheiro com pesquisa ciêntifica, se no final seus resultados são jogados no lixo.

Ecogastronomia Extinção de espécies alimentícias Programação detalhada do eventoVozes do Terra Madre Voluntários
Realizado por:
Slow Food
Em colaboração com:
Regione del Veneto IMCA
Educação em FocoFunarte
Em parceria com:FIDA
SIDMINCSDTMDABrasil - Governo Federal
DoDesign-s Design & Marketing

» Terra Madre Brasil | Fazer login

© 2010 Todos os direitos reservados aos autores das fotos e textos.
Não é permitido reproduzir o conteúdo deste site sem citar a fonte, link e o autor.